EDUCAÇÃO, ARQUITETURA E URBANISMO

Projeto Rima: fazendo da cidade um grande aprendizado

EA864A14-60AE-4E6C-9AC1-88E9CF2D0C77.JPG

Caroline Soares Nogueira

O Projeto Rima corresponde a uma experiência em pedagogia urbana no ambiente escolar, a partir da construção e execução de laboratório participativo com jovens de 14 a 16 anos, moradores do Itapoã/DF. Buscou-se, como resultado, compreender qual a percepção, consolidada no imaginário  coletivo destes jovens, a respeito do espaço público circundante à escola onde frequentam. essas perspectivas encontradas foram traduzidas em padrões espaciais que formaram possíveis cenários urbanos alternativos à realidade vigente da área em estudo; assim, expandindo as possibilidades de interação e apropriação espacial para além dos muros da escola, ou seja, fomentando, no espaço urbano, um ambiente de aprendizagem. 

Mestre Imaginário

Natália.jpeg

Natália Maria M. Cortês

O tema deste trabalho de graduação propõe-se a valorizar e promover a participação de crianças e jovens na construção de cidades mais lúdicas e saudáveis, e está sendo desenvolvido no Setor Habitacional Mestre D’armas, localizado em Planaltina, Região Administrativa do Distrito Federal. Construído de forma participativa, o projeto busca compreender como os espaços dedicados ao lazer, arte, educação e cultura podem se tornar agentes contribuintes na reestruturação física e social local, colaborando no conhecimento do território, no empoderamento comunitário, gerando afetividade e pertencimento da comunidade desde a infância, e assim, tornando-a ativa e consciente de seus direitos.

Casa de Brincar - Creche e pré-escola

Foto Julia Luna.jpg

Julia Luna

Para a realizações do projeto partiu-se princípio que o espaço exerce influência sobre o bem-estar e qualidade de vida dos indivíduos que nele habitam e que a arquitetura não tem apenas significado estético, econômico e funcional, mas que possui ainda um sentido sociológico e afetivo. Considerou-se, também, que a fase infantil é determinante na formação da personalidade e, neste sentido, a educação formal necessita de estímulos advindos do currículo oculto, tendo o ambiente construído como um valioso instrumento de educação. Entendendo que às escolas cabe a responsabilidade de lidar com esta fase tão importante na nossa formação, de modo a passar ensinamentos, valores e aptidões que ajudem no desenvolvimento saudável da criança, julga-se que faz parte deste encargo cuidar do espaço infantil, de forma que a arquitetura escolar esteja em concordância com os princípios que serão ensinados pela pedagogia e no entendimento da sustentabilidade. Neste sentido, a principal diretriz do projeto arquitetônico da Casa de Brincar, foi a necessidade da criança, o espaço foi desenvolvido para promover sua autonomia e para demonstrar, na prática, a importância do cuidado com o meio ambiente.

Implantada na Cidade Estrutural, região administrativa de Distrito Federal em situação de vulnerabilidade social e ambiental, a escola possibilitará a melhora na qualidade de vida da comunidade local e um impacto positivo na estrutura do entorno. O projeto foi desenvolvido para atender à 120 alunos em um terreno de 3.285m2. Em resposta à preocupação ambiental, resolveu-se explorar técnicas de arquitetura sustentáveis e fazer uso de materiais com baixo impacto ambiental. Assim, a concepção do projeto se apoiou na Permacultura, método de planejamento de sistemas - comunidades, por exemplo - ambientalmente sustentáveis, socialmente justos e economicamente viáveis. Os edifícios que compõe o projeto da escola contêm materiais como o bambu, madeira e tijolos com barro, é proposto também espaços livres muito arborizado. Estes são cuidados que dizem respeito à questão do impacto ambiental da construção e à possibilidade de permitir que as crianças tenham um maior contato com a natureza, fator tão importante para seu desenvolvimento saudável.

              A Casa de Brincar é o projeto de uma escola infantil que se afasta dos padrões escolares ocidentais e atuais. Desenvolvida para ser um ambiente que compreendesse uma educação inclusiva, holística e personalizada e um ensino para a sustentabilidade social e ambiental, seu espaço físico é uma importante ferramenta educacional e seu projeto arquitetônico dialoga com os valores de sua pedagogia.