PLANOS DE BAIRRO

Plano de Bairro da Vila Cauhy Vol.01  

WhatsApp Image 2019-08-03 at 18.25.24.jp

Pedro Ernesto Chaves

A Vila Cauhy é um assentamento precário localizado na Região Administrativa do Núcleo Bandeirante em Brasília (DF) cujo o processo de urbanização é atravessado por vários conflitos ambientais que sinalizam para restrições na forma de ocupação do solo. Boa parte dessa problemática está relacionada à proximidade com o manancial Riacho Fundo que naquela região configura um ecossistema de veredas com   4  tipos de áreas  de 

preservação permanente (beira de manancial, declividade, nascentes e veredas) e dois tipos de áreas de risco (geotécnico e de inundação). Adotando uma metodologia de desenho urbano participativo com oficinas e reuniões em diálogo direto com a Associação de Moradores (AMOVIC), este trabalho teve como objetivo propor alternativas para a urbanização da comunidade sintonizadas com a demanda dos moradores. Como resultados foram produzidas diretrizes com base nos diagnósticos social e ambiental e nas oficinas participativas de forma a orientar o projeto de urbanização da comunidade nos campos do uso e ocupação do solo, espaços públicos, saneamento ecológico, habitação e preservação ambiental.

Plano de Bairro de Santa Luzia

WhatsApp Image 2020-03-22 at 20.30.49.jp

Átila Fialho Rezende

Santa Luzia se desenvolveu de maneira informal à margem da cidade da Estrutural, desde o final da década de 1990, entre o Lixão da Estrutural e o Parque Nacional de Brasília. Desde 2017, o discurso por parte do governo a favor da realocação das famílias moradoras para um futuro prédio cujo projeto foi desenvolvido pela CODHAB-DF (Companhia de Desenvolvimento e Habitação do Distrito Federal) se intensificou. O assentamento se desenvolvera de maneira espontânea, nunca tendo recebido a devida atenção do governo com relação a implementação de infraestruturas básicas. O resultado disso é uma situação de extrema deterioração dos serviços públicos, da infraestrutura, do saneamento, da
sustentabilidade do meio físico e da saúde coletiva. Por outro lado, vemos ainda assim um bairro que possui muitas potencialidades pelo lado da sustentabilidade cultural (ou emocional), uma latente economia local e algum sentido de comunidade que integra os moradores. Conquanto o projeto futuro de moradias do governo possui baixos potenciais nesses últimos quesitos, ele se apresenta um tanto mais adequado nas questões físicas de sustentabilidade ambiental se comparado à ocupação atual. O Plano de Bairro pretende elaborar por meio de um processo participativo uma proposta que sirva como mediação dos conflitos existentes nesse espaço: ambientais, entre população e estado, dentro da própria comunidade e dessa com suas redondezas, dentro de um diálogo construtivo entre universidade e comunidade, com e para a população de Santa Luzia, defendendo uma solução que atenda às suas reais necessidades. Cabe expor a coletividade desse trabalho, feito conjuntamente
com o grupo de pesquisa e ação intitulado “Cidades saudáveis: mobilização e agenciamento de ações de infraestrutura ecológica para melhoria do habitat”, aprovado pelo edital Nº1/ 2017 - DEX/DDIR, composto por graduandos, mestrandos, docentes e participantes do PIBIC, com trabalhos realizados com integrantes do CASAS EMAU (Centro de Ação Social em Arquitetura Sustentável – Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo) e do grupo Periférico: Trabalhos emergentes. Até o presente momento, utilizamos estudos no qual pudemos averiguar que o projeto da CODHAB deixa a desejar na dimensão social e cultural da sustentabilidade. Já a ocupação atual tem uma avaliação preocupante na dimensão ambiental. O processo participativo foi feito com base em visitas, oficinas, debates e entrevistas, tentando articular-se com coletivos locais para a elaboração do plano. Por meio desse diagnóstico através da visão local e por meio da metodologia das dimensões da sustentabilidade, foi possível visualizar códigos espaciais, diretrizes, padrões e mapas que servem como cenários alternativos tanto para a situação atual como para a proposta do governo.